domingo, setembro 13, 2009

jazz ou minha morte num filme de woody allen

morreria ali
ao som de Davis
guela gelada
sol nos cabelos dos guris

afundada ou bêbada
de infarto fulminante
com o maestro arrogante
no sax tenor pendurado

lugar santo de morte
que leva alguém por azar
ou por sorte
topar com o destino só
dos colibris da tarde
livre, bebendo cubas libres

sim morreria ali
sobre a mesa iluminada de vela
vendo homens de variados cliques
a sutileza da tatuagem amarela
e a gentileza do garçom Miles

8 comentários:

Rodrigo Carreiro disse...

morrer com Woody Allen seria uma experiência no mínimo reveladora

RICARDO R. ® disse...

Muito bom!!! Parabéns!

Bjo

Patarata disse...

Great. ^^

Itaninha disse...

linda poesia... fez meu pensamento voar longe rsrs

bjs

e parabens por abafar a "revolta do blog" =P

jorginho da hora disse...

Essa foi direto no meu coração vadio !

Celine Ramos disse...

MOrria contigo.

Filhas da Pagu disse...

Lindo! Lindo! Lindo! E tão real... Boemiaaa...

matheus matheus disse...

Um luxo!