terça-feira, julho 31, 2007

sobre o cinismo

Ele sabe que te ama e finge.
Ela ama quando ele sabe e finge.
Os políticos se odeiam e fingem.
Sua mãe sabe dos seus erros e finge.
O padre não tolera homossexuais e finge.
Os homossexuais amam os padres e fingem.
Ele te olha e te vê mas finge.
Você deita na cama e dorme, finge.
Ouve alguns ruídos com nitidez, mas finge.
Eles discutem sobre filosofia fingindo saber.
Declaram coisas sobre o céu e o espírito que fingem conhecer.
Os atores fingem no teatro.
As prostitutas fingem nos cabarés.
As professoras fingem nas salas de aula.
A Majestade Imperial finge.
E você finge entender o que eu quero exatamente dizer.

4 comentários:

Nicholas disse...

Lari, muito massa esse texto, hehehhe, serio mesmo, gostei, bjssssss

larissa disse...

Lari, muito bom mesmo gostei!
E só uma coisinha rs.......... Eu não fingi entender o q vc escreveu eu só acho q entendi o q vc escreveu........kkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!!!!
hauhauahu!!!!!!!!rsrs........
Beijão!!!!
E sucessoo!

Celis disse...

laricaaa!!!

Eu finjo,
mas esse texto entra pro rol dos que mais amo em seu blog...na frente brigando com um outro que esqueci o titulo agora...mas sei que amo!! SEI, NÃO FINJOOOO.

bora fingir, nega... Fingir que acreditamos...e que estamos consertando o cinismo,...
hehehe

Patrícia disse...

Muito bom! Fingir!