domingo, junho 17, 2007

em transi

E estava lá.
Ao redor muitas pessoas mas não as percebia
o que sentia era o toque suave de suas mãos,
e a maciez do seu cabelo (ah, deixemos o texto para relembrarmos o momento).
Sua voz doce penetrava nos ouvidos e flutuavámos ao mais alto
como pássaros em um vôo livre.
O ápice da sensação era o beijo, que fervia o sangue pulsante
e que fazia em nada pensar. O desejo de dois, um corpo.
Dois barulhentos corpos eram um.
E todos viam, e eles só sentiam como era bom o toque, o beijo.

E do alto nas nuvens o vento seca o suor
e o sol tão perto passa a iluminar as faces
ruborizadas e alegres, fortes e penetrantes
eram os olhares e os sorrisos soltos.
Eles eram um, só um em transi (a).

Um comentário:

Celis disse...

Filha, queridinha
Esse transi é o carregador da pilha da felicidade.hehehe...

tu comprou onde? hehe
beiiijosss