domingo, agosto 09, 2009

Chica

Casa de vó
café tv conversa, festa só
cozinha pequena
minúscula ação
cheiro de chão
com sabão em pó

Embolar nas tardes
rir na cama
com vista pro computador
crochetear verdes-abacates
- vê lá, quem chega, é Ana

E o provinciano jornal
com chaleira no fogo
xicrinha de louça
memória divinal
é ver cabelo cinza
enrolado na touca
tal e qual Roberval

Chique seu falar
Acadimia jazzi tiuria
Ah se fosse professora de geografia!
ensinaria sobre o vermelho mar

A bença mamãe Zeca
que o beat de suas orações
alcance os mais altos corações
no ritmo bom, alto, alegre e simples
como a rima no verso: - sapeca.

4 comentários:

Ric Dexter disse...

Que beleza é a casa de Chica. rs!

Beijos!

ana f. disse...

essa poesia foi como voltar pra casa! tava com saudade do seu blog! andei meio brigada com a internet... tudo bem com você?

ana f. disse...

tô bem também.. nada grave não.. só enjoei um pouquinho da internet, mas já desenjoei.. hehe.. uai, talvez eu até anime a passear pelas bandas da bahia.. tô escutando muito doces bárbaros.. aí dá vontade de conhecer sua terra.. hehe.. mas, quando eu for, se eu for, eu te falo.. beijo..

Filhas da Pagu disse...

Saudades das roseiras da minha avó!!!!
:)