sexta-feira, setembro 28, 2007

o contrário é óbvio

O prédio em cima e a lua embaixo...
...o mundo sem ela fica mais escuro.
de cabeça pra baixo a lágrima corre
pra testa, o cavalo monta em São Jorge,
a chuva ensopa o queixo.
Olhando pra ela, quiz chegar perto,
mas o que fazer quando estiver lá?
Por enquanto continuo deitado com o rosto
fora da janela, pensando se o vizinho pode me ver,
ou se posso ver aquele rosto na luz da lua.
Penso que prefiro o céu negro, aquela camisa branca,
o rosto vermelho...
...e a lágrima insiste em molhar a testa!
- Oh, o que você faz aí, de cabeça pra baixo?

Um comentário:

Celine disse...

Adorei!!!

Ficar de cabeça pra baixo, pode ser tentativa de entender as coisas.

amo tu, xuxu