terça-feira, junho 12, 2012

defeito de fábrica

inaugurei o amor
cortei seu laço vermelho
sorri pra todo mundo que
batia palmas e me sorria

no fingimento eterno de novidade
abri a caixa como se fosse surpresa
fiquei feliz com aquele pouquinho
que me deram

nunca esperei que fosse mais
afinal o presente é a expectativa
da mente e a minha sabe o que faz

como pede o figurino, fiquei feliz
brinquei com ele, andei na praça
tomei sorvete e até carinho fiz

mas a novidade do brinquedo acaba
a cor da caixa, do laço, da vida
fica feia, suja, desbotada
não era mais amor que ali estava

resolvi então comprar mais um
me animar e fazer desse novo
mais um brilhante, bonito, vistoso
amor de direto de fábrica

pra ver se dessa vez ele me cabe
e fica comigo por mais tempo, quem sabe...

4 comentários:

Jéssica Souza disse...

O amor só é bom enquanto tem aquele cheirinho de novo. Por isso que nenhum deles fica pra sempre.
Beijos.


Ps.: Adorei teu canto. Eu costumava vir bastante aqui, mas em outro carnavais e com outras fantasias. Será que vais adivinhar quem eu era? ;D

marcos assis disse...

que consumista! =P
cheirinho de coisa velha às vezes é bom também. mas concordo que tem momentos de fazer limpeza.

e aí? quando cê vem?! =]]]

Larissa Santiago disse...

gosto do cheirinho do amor velho também!

tô procurando passagem barata daqui de recife. se não der agosto, em setembro =)

Gabriela Ashanti Ramos disse...

Hummmm... fiquei tanto tempo sem vadiar, mas estou de volto e me deparo logo com essa proeza. amores novos são deliciosos demais...