segunda-feira, junho 01, 2009

doses

Bebo
cada gole desce e rasga
cada corda que queima
arranha e arde
não sei o que roda
dança, não destingue
Bebo
e queria beber-te a ti
pouco a pouco
gole a gole
saboreando a hora
degustando dor
derramando sal e álcool
Bebo
e vomito o que não era
boto mais uma vez
você pra fora de mim
chorando querendo
que fique pra sempre
mas sem aquela dor
no estômago do dia seguinte
que vem sempre que não 
tem você, nem bebida.

12 comentários:

george araújo disse...

se foi pra fora, é pq ñ tava fazendo bem...
(ou não)



bjão
>>



p.s.: vai ter! se é q ñ já tem... hummmmmmmm

Ric disse...

Uau! Esse post me deixou ébrio...

Beijos!

Celine Ramos disse...

Adorei!!!
Os dois viciam...
te amo!

Rodrigo disse...

Às vezes, GOLADAS são necessárias.

Fabiana Amaral disse...

Vai de guti-guti!

Emely disse...

ODEIO o pós alcool...

saudades daqui tambem
=)

Patarata disse...

Saudade rasga a garganta...

[Ei, flor... quanto tempo hein?!]

Carol disse...

Não sei porque muitas vezes insistimos na mesma bebida...
Adorei!

Evandro F. disse...

vontade de beber agora rsrsrs :(

Ite Ramos disse...

Lindo, Lari.
Beijosss.

jorginho da hora disse...

Na verdade, vc não sabe se gosta mais do cara ou da bebida.ha,ha,ha!

Héber Sales disse...

Desfecho bem bolado, Larissa. Obrigado pela visita no "Coisas para fazer com palavras". Abraços!